PCP quer criar “frente social de oposição”

O objetivo desta frente é derrubar o “jardinismo” e as políticas de direita.

 

O PCP/Madeira esteve hoje em contacto direto com as populações de alguns bairros sociais do concelho do Funchal, nomeadamente bairro do Canto do Muro, São Gonçalo, Palheiro Ferreiro e Santa Maria. Em declarações à comunicação social, no Bairro de Santa Maria, Edgar Silva, apelou à mobilização da população para a concentração popular que está prevista para dia 22, quinta-feira, dia de greve-geral, às 11h00, na Avenida Arriaga.

Na ocasião, o deputado comunista defendeu a criação de uma frente social de oposição às políticas de direita. “Esta concentração constitui um degrau, um entre muitos outros que depois queremos percorrer ao longo dos próximos tempos, e o objetivo é criar uma frente social de oposição que consiga derrotar o programa de agressão que o ‘jardinismo’ quer impor ao povo e à Região”.

Edgar Silva lembrou ainda que a luta começou com a moção de censura, no Parlamento, na última semana, onde foi discutido o programa do Plano e Orçamento para 2012, e vai continuar com a mobilização das populações nas ruas para protestar contra o agravamento da situação social da Madeira.“É indispensável construir uma frente social de oposição às políticas de direita e contribuindo assim para a erosão da base social do jardinismo”, considerou o parlamentar comunista.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest