Assinado contrato de construção de novos navios

Decorreu hoje na Horta a cerimónia de assinatura do contrato de construção de dois navios de 40 metros para a operação regular de transporte marítimo de passageiros e viaturas nas ilhas do Grupo Central.

Vasco Cordeiro considerou na ocasião que a estratégia de construção de dois navios com capacidade para passageiros e viaturas para as ligações entre as ilhas do Grupo Central “vai mudar radicalmente a forma como se processa o transporte marítimo de passageiros principalmente nas ligações entre as três ilhas do Triângulo”, acrescentando que este é “um passo decisivo para que a construção de um mercado interno, que nestas três ilhas tem uma posição de vanguarda, possa atingir um novo patamar em relação ao já existente e cujas condições entendemos poder ser melhoradas”.

O Secretário Regional da Economia, que falava durante a cerimónia de assinatura do contrato de construção de dois navios de 40 metros para a operação regular de transporte marítimo de passageiros e viaturas nas ilhas do Grupo Central, entre a empresa Atlânticoline SA e os Estaleiros Armon, afirmou que este é “um processo prioritário para o Governo dos Açores”, não só “porque melhorará as condições de transportes de pessoas e bens entre estas ilhas”, mas também porque “vem adequar-se a um conjunto de investimentos que estão a ser feitos como são os casos da construção dos novos terminais de passageiros na Horta e na Madalena ou com a intervenção de construção da rampa de acesso no porto das Velas e as intervenções previstas para o porto de S. Roque do Pico”.

Importante é também para Vasco Cordeiro o facto de estes navios permitirem melhorias ao nível do transporte de doentes. “Ambos os navios encontram-se dotados de enfermarias, mas julgo que a grande vantagem não está na existência de uma enfermaria, mas sim no facto da evacuação de um doente entre estas ilhas passar a ser possível com o menor incomodo possível e com melhores condições de resguardo da intimidade e dignidade da pessoas do que atualmente”, acrescentando que “isso consegue-se com o transporte na própria ambulância e sem o transbordo de macas. O doente pode entrar numa ambulância no Centro da Saúde do Pico e sair apenas da ambulância no Hospital da Horta. Esta é uma alteração significativa”.

O contrato assinado entre a Atlânticoline SA e os Estaleiros Armon estabelece a construção de dois navios de quarenta metros, sendo que um terá a capacidade para cerca de 333 passageiros e oito viaturas e o outro para 287 passageiros e 12 viaturas, sendo este um investimento total de 18,6 milhões de euros.

Ao abrigo do contrato firmado, os navios deverão ser entregues em Agosto e Novembro de 2013.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest