TAP causa constrangimentos “na competitividade do destino Madeira”

As ligações aéreas à Madeira no período IATA Inverno que não se adequam ao esforço de promoção que é feito, diz a ACIF.

acifA direção da ACIF-CCIM reuniu com a companhia área TAP com o intuito de apresentar um conjunto de preocupações que, segundo esta estrutura associativa, estão a causar constrangimentos na competitividade do destino Madeira.

«Uma das preocupações apresentadas prende-se com as ligações aéreas à Madeira no período IATA Inverno que não se adequam ao esforço de promoção que é feito nesta altura do ano pelo setor. Há necessidade de aumentar o número de ligações e identificar novos mercados com potencial de crescimento que neste momento não tenham ligação direta à Madeira, garantindo uma oferta e um esforço de promoção adequados».

Os dirigentes da ACIF lembraram ainda que o voo direto proveniente de Londres apresenta um load factor inferior a 50% e tem sido alvo de críticas pelo horário em que o mesmo se realiza. Dada a importância do mercado inglês, foi sugerido a alteração do horário de madrugada para outro horário mais adequado.

Na reunião com a TAP foi também referida a importância de reforçar as ligações com a Venezuela, aumentando de uma para duas viagens semanais durante o período IATA, assim que o período conturbado que o país atravessa esteja ultrapassado, bem como criar uma nova rota entre Funchal e São Paulo ou Rio de Janeiro.

A direção da ACIF-CCIM defendeu um maior número de ligações aéreas diretas com Paris, Alemanha e Rússia, países que têm registando um aumento de tráfego e que não devem ser negligenciados, assim como uma especial atenção para as ligações com a ilha do Porto Santo, sendo sugerida a possibilidade de introduzir nesta rota um avião Embrer 145 EP de 49 lugares ou um Fokker 100 de 97 lugares que operasse mesmo durante o inverno.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest