67,4 mil pensionistas da Segurança Social ativos na Região em 2015

Segundo dados divulgados pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), no final de 2015, existiam 67,4 mil pensionistas da Segurança Social ativos na Região Autónoma da Madeira (RAM), correspondentes a cerca de um quarto da população residente. Daquele efetivo, 60,2% recebiam pensões de velhice, 27,8% de sobrevivência e 12,0% de invalidez. Face a 2014 e apesar do aumento das pensões de velhice (+0,2%), o número de pensionistas diminuiu 0,3%, em resultado das variações negativas observadas no número de beneficiários de invalidez (-2,1%) e de sobrevivência (-0,5%).

“A pensão média associada aos pensionistas da Segurança Social cresceu 1,5% entre 2014 e 2015, na sequência de uma evolução semelhante observada nos três tipos de pensão. Assim, em 2015, a pensão média anual de velhice ascendia a 5 129 euros, superando as pensões médias por invalidez (4 948 euros) e por sobrevivência (2 640 euros)”, aponta a DREM.

Quanto aos valores processados das prestações sociais atrás referidas, no final do último ano, e comparativamente a 2014, observou-se um ligeiro aumento de 1,2%, fixando-se em 305,5 milhões de euros. Destes, 13,3% foram atribuídos à pensão de invalidez (40,5 milhões de euros), 70,0% às pensões de velhice (213,7 milhões de euros) e 16,8% às pensões de sobrevivência (51,3 milhões de euros). Nas três funções em análise, observaram-se aumentos nos respetivos valores processados.

“No ano em referência, beneficiaram de subsídio de desemprego 14,7 mil indivíduos, menos 6,0% que em 2014, sendo que daqueles, 33,9% não haviam usufruído desta prestação no ano anterior. Cerca de 56,7% dos beneficiários de subsídio de desemprego eram do sexo masculino e cerca de 4,6% eram jovens (menos de 25 anos). O grupo etário que registava maior proporção era o dos indivíduos entre os 40 e os 49 anos (27,2%)”, referem os dados da DREM.

Em 2015, a duração média de atribuição do subsídio de desemprego foi de 214 dias, menos 20 dias que em 2014, tendo o valor médio deste tipo de prestação ascendido a 3 278 euros, registando uma redução de 10,0% face ao ano anterior.

No que diz respeito às principais prestações familiares da Segurança Social, em 2015, observou-se uma diminuição no número de beneficiários de abono de família para crianças e jovens (-3,0%) e nos beneficiários do subsídio por assistência de 3ª pessoa (-2,0%).

Quanto ao rendimento social de inserção, cerca de 6,7 mil indivíduos beneficiaram daquele rendimento, dos quais 50,2% do sexo masculino. Por grupo etário, 42,7% dos beneficiários eram indivíduos com menos de 25 anos. Neste tipo de função, pôde observar-se uma diminuição no número de beneficiários, na ordem dos 5,3%.

“Os beneficiários de subsídios por doença aumentaram 6,1% entre 2014 e 2015, totalizando, neste último ano, 9,3 mil indivíduos. O número médio de dias processados deste tipo de subsídios atingiu, em 2015, o valor de 80 dias, mais 4 dias que no ano transato. Os valores processados ascenderam a 12,5 milhões de euros, traduzindo um aumento de 11,6% face a 2014”, revela a DREM

No que concerne à Caixa Geral de Aposentações, no final de 2015, o número de utentes deste sistema ascendeu a 12,5 mil pessoas, mais 1,0% que o ano passado. A sua grande maioria (70,6%) correspondia a beneficiários de pensões de velhice e de invalidez.

Pin It on Pinterest