Dormidas e proveitos totais na hotelaria regional cresceram acima da média nacional

As primeiras estimativas para o mês de outubro de 2016 apontam para um crescimento nos principais indicadores da hotelaria, com aumentos homólogos de 13,5% nas dormidas, de 22,7% nos proveitos totais e de 20,3% nos proveitos de aposento. A nível nacional, pela mesma ordem, os incrementos observados nestas variáveis foram de 12,4%, 19,8% e 21,3%.

“O total de dormidas na RAM no mês em referência rondou os 642,5 milhares, enquanto os proveitos totais e de aposento ascenderam aos 34,0 e 21,3 milhões de euros, respetivamente. Os valores observados nestes três indicadores constituem máximos históricos para outubro, sendo que no caso das dormidas foi a primeira vez que se ultrapassou a marca das 600 mil neste mês”, revelam os dados publicados pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM).

Nos mercados tradicionais, assinala-se o crescimento das dormidas de turistas alemães, britânicos e franceses, com variações de +16,1%, +11,0% e +0,3% face a outubro de 2015, respetivamente. O mercado nacional salientou-se face aos restantes mercados tradicionais, com um incremento de 30,0% em termos homólogos, contribuindo assim de forma relevante para o acréscimo global verificado no mês de outubro.

Analisando os primeiros dez meses de 2016, conclui-se que as dormidas cresceram 9,5% na R. A. Madeira, enquanto os proveitos totais registaram um incremento de 16,7% e os de aposento de 17,8%, comparativamente ao período homólogo.

A taxa líquida de ocupação-cama (TLOC) no mês em referência fixou-se em 70,6%, 6,3 pontos percentuais acima do observado em outubro de 2015, mantendo-se como a mais elevada entre as regiões NUTSII portuguesas.

Há a salientar ainda o acréscimo homólogo do rendimento médio por quarto (RevPAR) em 17,6%, para 48,97€.

Pin It on Pinterest