Apenas 30% dos casos de rinite estão diagnosticados

Estima-se que, em Portugal, um terço da população sofra de doença alérgica e, destes, 30 por cento apresenta queixas de rinite. Para alertar para a importância do diagnóstico precoce, a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) vai realizar, entre os dias 4 e 6 de novembro, rastreios gratuitos à população na estação de ferroviária da Gare do Oriente, em Lisboa.

“A rinite alérgica é a doença alérgica mais comum, mas só um terço dos adultos fez testes de alergia e apenas 30% dos casos estão diagnosticados. A rinite alérgica pode associar-se a outras comorbilidades como é o caso da rinoconjuntivite, rinosinusite crónica, polipose nasal e otite serosa, contribuindo para perda da qualidade de vida dos doentes e com custos diretos e indiretos significativos”, explica Elisa Pedro, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica.

E acrescenta: “Perante estes números, torna-se imperativo que as pessoas façam o rastreio às doenças alérgicas, pois só assim conseguiremos aumentar o número de casos diagnosticados em Portugal e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida destes doentes. O diagnóstico precoce é a chave para o sucesso do tratamento”.

A rinite alérgica corresponde a uma inflamação crónica da mucosa nasal desencadeada pelo contacto com poeiras comuns no meio ambiente (aeroalergénios), em indivíduos a elas sensibilizados. Entre os sintomas mais comuns da rinite alérgica estão a obstrução nasal, o “pingo”, os espirros e a “comichão” no nariz.

Entre os dias 4 e 6 de novembro, a SPAIC vai participar na Check-Up, Dia Nacional do Rastreio, ao realizar rastreios gratuitos aos portugueses na estação ferroviária da Gare do Oriente. A iniciativa vai contar com a participação de várias sociedades médicas e associações de doentes de todo o país e permitir, num único local, a realização de rastreios a várias especialidades médicas.

 

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger