Lisboa aposta na redução de resíduos

Lisboa assinou hoje o protocolo de parceria para implementação do URBAN-WASTE. Um projeto financiado pela Comissão Europeia que irá dotar a capital de um sistema de prevenção, gestão, recolha e tratamento de resíduos urbanos dirigido aos turistas.

Financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa HORIZON 2020, o URBAN-WASTE tem uma duração de três anos e um orçamento para Lisboa de cerca de 124 mil euros.

O objetivo é implementar, até 2019, atividades que abordem a prevenção, a gestão, a recolha e o tratamento de resíduos urbanos em cidades turísticas.

Para Lisboa, o projeto vem na altura certa para o turismo na cidade mas também ” pela forma como a CML está a implementar na cidade uma serie de medidas que visam a redução de resíduos e a melhoria da qualidade de vida dos habitantes da capital”, disse o Vice-presidente da CML nos Paços do Concelho onde teve lugar a assinatura do acordo de adesão de Lisboa ao consórcio, composto por 27 parceiros, entre autoridades locais e regionais, institutos de investigação e associações de gestão de resíduos.

Duarte Cordeiro recordou a importância do projeto a vários níveis que visam sobretudo compatibilizar o crescimento do turismo sem “por em causa a qualidade de vida dos seus cidadãos”.

O desafio passa por desenvolver estratégias de prevenção e gestão eco-inovadoras, reduzindo a produção de resíduos urbanos e melhorando a sua gestão em cidades, como Lisboa, onde o turismo está em crescente desenvolvimento.

Uma das metas é diminuir em 2,5% os resíduos produzidos pelos turistas que visitam a capital.

Para além do estudo, o projeto irá disponibilizar ainda um conjunto de ferramentas sobre a gestão de resíduos destinada a turistas como um localizador de resíduos em tempo real, mapas interativos com serviços turísticos de alta performance e uma aplicação informática (APP Resíduos) onde é possível participar e ganhar prémios de forma a tornar a estadia mais sustentável.

Para além de Lisboa, na linha da frente do projeto estão mais dez cidades-piloto e regiões: Ponta Delgada, Tenerife, Toscânia, Kavala, Copenhaga, Nice, Cote D’Azur, Nicosia, Santander, Syracuse e Condado de Dubrovnik-Neretva.

A Câmara Municipal de Lisboa tem como parceiros o Altis Hotels, o Azad Lda, a Associação da Hotelaria de Portugal, o Turismo de Lisboa e a Sociedade Ponto Verde, que assinaram conjuntamente o documento e que “aplaudem a iniciativa”.

Pin It on Pinterest