Smart Open Lisboa entrou na fase de experimentação

Lisboa está transformada num autêntico laboratório vivo, onde as 12 startups finalistas do Smart Open Lisboa vão testar os seus produtos. Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa participou no arranque da fase de experimentação do concurso e salienta a sua importância na procura de soluções “que possam melhorar a qualidade de vida dos lisboetas”

Em vários pontos da cidade as startups finalistas experimentam agora os seus produtos, direccionados para as quatro áreas definidas pelo concurso.

“Este é um programa de inovação por nós muito acarinhado” disse o vereador, salientando que permite à cidade encontrar soluções inovadoras para a vida das pessoas, ao mesmo tempo que “a Câmara Municipal pode beneficiar desse processo de inovação”.

No ano passado foram desenvolvidas propostas e aplicações “muito boas” que a autarquia já hoje utiliza em áreas como o atendimento ou monitorização de ruído.

O desafio começou no início de maio com cerca de meia centena de startups, e as 12 finalistas procurarão agora desenvolver os seus produtos durante os próximos três meses. Para 12 de outubro está marcado o dia da demonstração (Demo day), onde serão anunciados os vencedores.

O Smart Open é um programa inovador que constitui um dos pilares na estratégia de inovação de Lisboa e procura promover a utilização, pelos participantes, dos Dados Abertos da cidade no desenvolvimento de soluções inovadoras para problemas do dia-a-dia dos cidadãos.

É promovido pela Câmara Municipal de Lisboa, Turismo de Portugal, Portugal Telecom, Cisco, Grow Mobility (by Brisa), EPAL, Sharing Cities e Masai sendo coordenado pela Beta-i.

Pin It on Pinterest