Orçamento do Estado exige “um esforço demasiado pesado”

O vice presidente da Assembleia Legislativa, Miguel de Sousa, disse hoje ao CidadeNet que o Orçamento do Estado para 2012 representa “um esforço demasiado pesado” para os portugueses.

Não tenho os dados todos para poder fazer uma avaliação sobre o que é que representa o Orçamento do Estado (OE) para o futuro de Portugal. Como tal, vou ficar para ver e rezar para que tudo isto acabe em bem”, apontou Miguel de Sousa.

Mesmo assim, o vice-presidente do parlamento regional considera que o OE exige um grande esforço aos portugueses. “O esforço que está a ser pedido é demasiado grande para poder falhar. E como até aqui ainda ninguém acertou esperamos que desta vez isso aconteça”, observou.

Miguel de Sousa considera, ainda, que o Governo da República está a ir “mais além em matéria de sacrifícios” daquilo que foi exigido inicialmente pela troika.

Não está para mim justificado que tudo isto tenha que ser feito em dois anos. Também não percebi ainda porquê que se está a ir além daquilo que a troika impôs, o PS acordou e o PSD concordou”, afirmou Miguel de Sousa.

O vice-presidente da Assembleia Legislativa lembra, ainda, que os portugueses já estão a fazer sacrifícios há muito tempo, reiterando que as novas medias de austeridade não podem falhar.Se os sacrifícios pedidos não resolverem nada, penso que será muito perigoso para o futuro da democracia e do próprio país”, alertou.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest