MPT: Zona Franca exige consenso partidário

O Centro Internacional de Negócios precisa do empenho de todas as forças políticas.

O Movimento Partido da Terra (MPT) entende que os partidos políticos madeirenses devem estar juntos na questão do Centro Internacional de Negócios da Madeira. Hoje, na Zona Franca do Caniçal, João Isidoro lamentou que os interesses partidários não estejam, por vezes, a zelar pelo que é devido.

“Chegou o tempo de falar claro e agir rápido sobre esta praça financeira. Tem havido, infelizmente, por parte dos partidos que têm a responsabilidade de resolver esta questão (PSD e CDS), uma autêntica feira de vaidades e promoções políticas e pessoais, em vez de uma resolução efetiva da questão”.

João Isidoro explicou que os quase 3 mil postos de trabalho, bem como as muitas empresas que lá se encontram sedeadas, não podem estar dependentes dos caprichos alheios. “Assiste-se a uma preocupação por aparecer todos os dias nos meios de comunicação social, mas não em resolver a manutenção do Centro Internacional de Negócios”.

Quanto às propostas apresentadas pelo PSD/Madeira e pelo PS/Madeira, no que concerne aos benefícios fiscais e à continuação das negociações com a União Europeia, o Partido da Terra manifestou todo o apoio.

“Esta matéria deve ser o mais consensual possível ao nível da Assembleia Legislativa da Madeira, no sentido de criar condições para que o Governo Português avance com as negociações”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest