João Rodrigues faz história

Madeirense brilhou na Austrália e é o primeiro velejador com mais de quarenta anos a vencer uma regata nos Mundiais.

João Rodrigues venceu hoje a única regata do dia nos Mundiais de Perth, na Austrália, na classe RS:X. Um dia longo para os 97 velejadores que participam na competição mas do qual o atleta português colheu frutos com a vitória e alcançou de novo um lugar nos dez primeiros, garantindo dessa forma o apuramento para a Frota de Ouro.

Larguei muito bem e optei pelo lado esquerdo do campo, que se revelou a melhor opção. Rondei terceiro a primeira boia mas perdi dois postos na popa, mesmo a chegar ao final desta. Foi então que optei logo pela esquerda do campo, enquanto os restantes velejadores faziam um pequeno bordo à direita, para depois então virarem à esquerda, onde continuava a haver mais pressão. Isso foi o suficiente para eu ganhar alguma vantagem que depois foi só aumentando, à medida que era o primeiro a encontrar mais pressão de vento da esquerda. Quando cheguei ao extremo esquerdo, já tinha uma confortável vantagem que geri até cortar a linha de chegada e tornar-me o primeiro velejador em prancha à vela a ganhar uma regata num campeonato do mundo com mais de quarenta anos”, afirma de forma emocionada o mais Olímpico dos Olímpicos portugueses.

Antes disso, já o velejador nacional tinha tido uma “maratona” dentro de água naquela que devia ter sido a primeira regata. João Rodrigues, e os restantes concorrentes, estiveram quase duas horas e meia à espera que o vento estabilizasse mas mesmo assim a competição viria a ser anulada na parte final devido à grande alteração meteorológica.

Como estava no grupo amarelo, fui logo para a água ao meio dia, apenas para ficar a boiar.  Às 14h30 deram-nos uma largada com vento a rondar os 12 nós e fui dos poucos que consegui fugir para a direita do campo, onde havia mais pressão e fizemos duas voltas épicas, com constantes trocas de liderança, sendo que o grupo era constituído pelo Ricardo Santos – BRA1, Tom Ashley – NZL 181, Mariano Reutman – ARG 1, JP Tobin – NZL 151,  e eu. A chegada quer à bóia da bolina quer à bóia da popa chegou a ser hilariante, pois o vento falhava precisamente nestas duas zonas e foi como se voltássemos a começar do zero. Mas na terceira volta, quando mais uma vez nos dirigíamos para a direita, o vento rodou 90º à esquerda e ficamos enterrados na direita do campo. Quando finalmente conseguimos terminar essa derradeira bolina, íamos todos abaixo de vigésimo mas a Comissão de Regatas, para nosso alívio, resolveu anular a regata. E voltamos para terra à espera de melhor vento”, explica João Rodrigues.

 

Amanhã quinta-feira começa a disputar-se a fase final da Frota de Ouro com João Rodrigues entre os principais favoritos. “Mais um passo rumo à qualificação para Londres 2012. Estou décimo da geral e muito, mas mesmo muito contente com a forma como me estou a sentir. É de facto um privilégio poder estar aqui”, conclui o velejador.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

 

Pin It on Pinterest