PTP acusa Jardim de proteger o “grupo dos Sousas”

O grupo parlamentar do PTP compareceu hoje na manifestação contra o abandono da linha por parte da Naviera Armas.

O Partido Trabalhista Português juntou-se esta manhã ao grupo de manifestantes que estiveram no Porto do Funchal para mostrar a sua indignação a propósito da saída do ARMAS da linha Funchal-Portimão.

Na ocasião, José Manuel Coelho acusou Alberto João Jardim de proteger o grupo dos Sousas, que detém o monopólio dos portos, e de dificultar a vida ao Naviera Armas para que o armador abandona-se a linha.“Está provado que o drº Alberto João Jardim quando diz que põe a Madeira em primeiro lugar essas palavras não passam de uma falácia do regime jardinista. Está demonstrado pelas perseguições que foram feitas ao armador Naviera Armas que, realmente, Jardim não defende os madeirenses e os portossantenses, defende sim as oligarquias instaladas dos ladrões do regime que têm engordado à sombra da autonomia”, atirou, sublinhando que o Governo Regional quis favorecer o “grupo dos Sousas”.

O parlamentar do PTP referiu também que a secretária dos Transportes, Conceição Estudante, foi mandatada para a perseguir a Naviera Armas criando dificuldades para que o armador desistisse de vir ao Funchal.

“Foram criadas deliberadamente dificuldades ao armador espanhol para favorecer o grupo dos Sousas e mais foram aumentadas as taxas de utilização do porto, criando dificuldades no desembarque das mercadorias aqui na Madeira e foram também aumentadas as taxas de descarregamento dos camiões que aqui custam 50 euros por camião e em Portimão são 12 euros e em Canárias 6 euros, um conjunto de barreiras para que a situação chegasse onde chegou”, apontou o deputado do Partido Trabalhista.

 [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest