6º Congresso da Sociedade Portuguesa de Hipertensão

Especialistas debatem tratamento inovador para hipertensão arterial resistente.

Em Portugal, quase metade da população tem hipertensão, sendo que em apenas 11 por cento destes a doença está controlada.

No âmbito do 6º Congresso da Sociedade Portuguesa de Hipertensão, especialistas nacionais e internacionais debatem os avanços no diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial (HTA) resistente, isto é, pacientes que apesar do tratamento com três ou mais medicamentos anti-hipertensivos continuam com níveis elevados de pressão arterial.

De acordo com Fernando Pinto, Presidente-Eleito da Sociedade Portuguesa de Hipertensão e Presidente da Comissão Organizadora do Congresso, “a hipertensão resistente ao tratamento é uma doença crónica especialmente perigosa devido à sua associação com um aumento do risco cardiovascular, incluindo AVC e enfarte, assim como insuficiência cardíaca e doenças renais”.

Ainda de acordo com o especialista, “as investigações sugerem que cerca de 28 por cento dos indivíduos hipertensos tratados são considerados resistentes ao tratamento. É também de salientar que estes pacientes têm o triplo de probabilidade de sofrer de doenças cardiovasculares, quando comparados com indivíduos com pressão arterial controlada, daí o destaque que quisemos dar a este tema na reunião anual da sociedade”.

Para mais informações sobre o 6º Congresso Português de Hipertensão e programa completo consulte: http://www.sphta.org.pt/.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest