A defesa do património

Se tivéssemos uma sociedade respeitadora e instrutiva na valorização da herança cultural é certo que existiriam muito menos associações para a defesa do património.

Nos últimos tempos, a valorização e salvaguarda do património estendeu-se à vertente imaterial, ou seja, na procura, estudo e divulgação daquelas acções humanas que não se materializam fisicamente.

Tradições, expressões orais, formas de estar e de agir encaixam hoje em dia o conceito de património, não havendo para já – pelo menos na nossa região autónoma – caminhos e objectivos traçados para o seu levantamento e estudo.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest