Governar ‘é fazer escolhas’

O CDS voltou ontem a criticar o facto da maioria PSD ter retirado os 2% do subsídio de insularidade.

Porém, Rui Barreto denuncia que no mesmo dia (quarta-feira) os sociais-democratas rejeitaram, na Assembleia Legislativa, uma proposta do CDS “para moralizar” a classe política e “retirar aquilo que são dois benefícios aos deputados, que é o subsídio de reintegração e as pensões vitalícias”.

“Não se percebe esta ambiguidade, esta dualidade de critérios. Se um governo está em dificuldades  tem de fazer escolhas. E esta escolha é inadmissível, pois no mesmo dia retirou o subsídio de insularidade a 30 mil funcionários públicos e nesse mesmo dia chumbou uma prosposta do CDS para uma revisão cirúrgica do estatuto político administrativo”, apontou o deputado do CDS, ontem no concelho da Calheta, no âmbito das sessões de esclarecimento sobre os impactos das medidas do  programa de assistência financeira à Madeira.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest