GR tem culpas no declínio do Porto Santo

Rodrigues diz que o Governo Regional tem contribuído para a crise no Porto Santo.

José Manuel Rodrigues, líder do CDS-PP Madeira, defendeu hoje medidas estruturais para o concelho do Porto Santo. Nos contactos com a população ficaram bem patentes as dificuldades.

“Há que atuar no sentido de haver medidas estruturais que ajudem ao desenvolvimento do Porto Santo, à recuperação da sua economia e à criação de emprego”, disse, dando como exemplo a resolução dos transportes aéreos “que são a preços proibitivos”, seja para os residentes, seja para os visitantes.

O deputado lembrou ainda as declarações da presidente da Câmara Municipal do Porto Santo, que considerou recentemente que a ilha vive uma situação dramática, mas apontou o dedo para a atuação do Governo Regional.

“Só é pena que a resposta do Governo Regional do PSD, em vez de serem medidas de combate a esta crise sócio-económica, fosse uma medida de corte do subsídio de insularidade dos funcionários públicos do Porto Santo, na ordem dos 15%”.

Um facto que a juntar ao aumento do IVA, quase que equiparado ao território continental, vai retirar “poder de compra às famílias e retirar competitividade” a várias áreas de atividade, apontou José Manuel Rodrigues.

Estes encontros com as populações servem também para o arranque oficial da recolha de assinaturas, sob forma de petição, que visam obrigar a que volte a ser discutido, na Assembleia Legislativa da Madeira, o fim das regalias indevidas da classe política.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest