Escolas apostam nas hortas biológicas

O diretor regional da Agricultura traça como objetivo aumentar o número de escolas na Região com hortas escolares.

“Agricultura Biológica na Escola” é como se intitula o seminário  que está a decorrer, até ao próximo domingo, na Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco. O referido evento tem como objetivo incentivar a implementação de hortas biológicas nas escolas, no sentido de se cumprir com um dos parâmetros exigidos pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), coordenadora do programa Eco-Escolas.

Na sessão de abertura do seminário, o diretor regional de Agricultura destacou que se trata de um tema muito pertinente, pois permite que os alunos obtenham conhecimentos sobre a alimentação saudável através da prática da agricultura biológica e, por sua, vez aprendam a produzir, gerir, poupar e a reutilizar.

Bernardo Araújo indicou, ainda, que o objetivo é aumentar o número de escolas na Região com hortas escolares, bem como melhorar a qualidade e produção das já existentes.

“Há estudos internacionais que indicam que os alunos que tenham contacto com hortas escolares têm um desempenho académico mais avançado comparando com outros que não têm acesso a esses ambientes relacionados com as hortas escolares”, destacou o governante.

Bernardo Araújo realçou também a participação de cerca de 120 professores no seminário, referindo que se trata de um “indicador do interesse que esta matéria” tem para os formadores. “Consideramos que estes formadores, uma vez na posse da informação necessária, serão multiplicadores desta boa moda que é a agricultura biológica”, observou.

O diretor regional da Agricultura transmitiu, também, que a produção biológica na Madeira ocupa cerca de 200 hectares, sendo praticado por cerca de 90 agricultores. “Em 2011 e já este ano  ao todo a direção Regional de Agricultura já elaborou cerca de 70 projetos para novas explorações, que caso venham a ser implementadas representam um acréscimo de 140 hectares. É sabido que temos um desafio pela frente que é chegar a 2015 com 500 hectares, meta que estamos a nos esforçar para atingir”, frisou.

Bernardo Araújo disse, também, que a secretaria regional do Ambiente e dos Recursos Naturais tem feito um esforço, a nível de formação e de apoios, para ajudar os agricultores a suas explorações para a produção biológicas. “É também interessante que o mercado está a pedir cada vez mais produtos biológicos, por isso é necessário produzir mais”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest