Miguel Mendonça quer “desmitificar” imagem da Assembleia

O projeto “A Assembleia vai à Escola” pretende acabar com a imagem negativa do Parlamento Regional.

O presidente do Parlamento Regional, Miguel Mendonça pretende “desmitificar” à imagem negativa que os órgãos de comunicação social passam da Assembleia Regional. Este é o grande objetivo da iniciativa “A Assembleia vai à Escola”, promovida pelo Parlamento da Região, que pretende levar a 123 escolas da Madeira este projeto, durante o ano letivo 2011/2012. A sessão inaugurar foi feita por Miguel Mendonça, em Santana, no Externato da Sagrada Família. “O objetivo é dar a conhecer o primeiro Órgão Próprio da Autonomia que muitas vezes dá a impressão que é um órgão mal amado”, salientou o presidente do Parlamento.

A iniciativa visa essencialmente dar a conhecer aos mais jovens, o que é, para que serve e como funciona a Assembleia Legislativa da Madeira, primeiro Órgão de Governo própria da Região. Alguns dos alunos presentes na sessão tiveram a oportunidade de fazer alguns perguntas a Miguel Mendonça destaque para a questão “porque que decidiu enveredar pela carreira política quando é médico de profissão?”, em resposta o parlamentar referiu que nunca deixou de exercer medicina e que tem o coração divido entre a medicina e a política, mas o mais importante de tudo segundo explicou é “ter uma profissão e ter consciência política, ou seja, por exemplo ser engenheiro e ser político.

A iniciativa é destinada a alunos do 4º ano da RAM e a Assembleia constituiu uma equipa que se deslocará às escolas da RAM, com visitas que serão calendarizadas com os respetivos conselhos executivos.

“Sabendo que as crianças podem ser um dos principais veículos transmissores de informação junto da população adulta e, atendendo a que o parlamento nem sempre é lembrado pelas melhores razões e, porque são os mais jovens os futuros políticos da Região, torna-se imperioso que, desde cedo, se confrontem com a realidade política da Madeira e saibam como funciona o Parlamento”, vincou Miguel Mendonça.

Por seu turno, o secretário regional da Educação e Recursos Humanos esquivou-se a falar sobre o Orçamento Regional, no entanto, ainda disse que os problemas que têm afetado diversas escolas da Região, como a alimentação e os passes de transporte escolar, só deverão estar ultrapassados depois de aprovado o Orçamento. “É preciso retomarmos uma certa normalidade que penso irá acontecer na sequência da aprovação do Orçamento e que permitirá então às escolas poderem projetar a sua vida para o médio e longo prazo”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest