Orçamento não tem visão estratégica para a Madeira

CDS faz balanço negativo às medidas económicas anunciadas no Orçamento Regional para 2012.

O CDS/PP continua a análise sectorial ao Orçamento Regional e Plano para 2012. Lino Abreu explicou, hoje pela manhã, que as medidas anunciadas na área de economia vão descapitalizar as famílias e as empresas, retirando poder de compra aos mais carenciados.

O aumento da carga fiscal, na ordem dos 122 milhões de euros, vai recair mais uma vez nos trabalhadores e assim contribuir para o enfraquecimento da economia regional.

O deputado popular esclareceu ainda que neste orçamento “as empresas de capital público levam mais de 324 milhões da sua despesa financeira”, sem contar com a dívida acumulada que é já “superior a 760 milhões de euros”.

Por isso, no entender do CDS, a receita para o desenvolvimento sustentável e crescimento do emprego na Região Autónoma da Madeira é outra, tendo na sua base o desenvolvimento de quatro sectores estratégicos: transportes, turismo, telecomunicações e talentos, em termos de recursos humanos.

Lino Abreu lamentou mesmo que, na execução do Orçamento, o Governo não tenha tido “uma visão e uma estratégia clara sobre os principais sectores da sua atividade económica”. Facto que terá grave consequências no futuro da Região, com o empobrecimento das famílias e o encerramento de empresas.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest