Aumenta a reutilização de materiais na área da saúde

Contexto financeiro tem alterado procedimentos na área da saúde, diz o enfermeiro Juan Carvalho.

O presidente do Sindicato dos Enfermeiros na Região Autónoma da Madeira, Juan Carvalho, referiu, em declarações ao Cidade Net, que há uma tendência crescente para a reutilização de materiais na área da saúde. Uma prática que, se não fiscalizada devidamente, pode colocar em risco a saúde dos utentes.

Não se trata, ainda, de materiais que não são reutilizáveis, mas sim de equipamentos que são utilizados mais vezes do que o aconselhado pelas normas protocolares. “Por exemplo, as extensões de catéteres, que podem ser utilizadas no mesmo doente uma ou duas vezes, estão a ser utilizadas três ou quatro vezes”.

Mas importa sublinhar que são materiais utilizados no mesmo doente. O que não quer dizer que, futuramente, não possam existir mudanças. “Temos de saber quais os materiais reutilizáveis, por norma, e quais os materiais que, tendo em conta as circunstâncias financeiras em que estamos, passaram a ser reutilizáveis”.

Juan Carvalho rejeita que, neste momento, se fale numa maior contenção nos serviços de saúde regional, num corte ao despesismo existente, mesmo porque nunca entendeu como supérfluo o gasto com os utentes.

“Não é na abordagem ao doente que o sistema é gastador. O sistema é despesista num nível mais alto e é aí que o Governo Regional, através da secretaria regional dos Assuntos Sociais, tem de cortar”.

De acrescentar que, recentemente, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses denunciou determinadas práticas nos serviços de saúde, ligadas a esta reutilização de materiais, que podem colocar em risco a saúde dos utentes.

O Hospital Dr. Nélio Mendonça tem, neste âmbito, uma Comissão de Infeção Hospitalar cuja função é detetar quaisquer irregularidades nos serviços, no entanto, o facto de ser uma comissão interna coloca dúvidas. “Uma comissão externa seria sempre mais segura”, esclarece o sindicalista.

Contudo, apesar da reutilização de materiais no Serviço Regional de Saúde ser inferior à praticada em outros locais, fica o alerta. “Os utentes devem estar despertos para os procedimentos na área da saúde, sempre que possível devem questionar e perante situações que entendam fora da norma devem reclamar”, conclui Juan Carvalho.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest