“Dar sangue é um ato de cidadania”

SESARAM homenageou 169 dadores de sangue. Madeira é auto-suficiente nesta área.

«O povo madeirense é um povo que tem, de facto, como marca genérica a solidariedade e os nossos dadores são aqueles que durante o ano asseguram as necessidades de sangue aos nossos concidadãos, que numa situação de emergência precisam de uma tranfusão», afirmou hoje o secretário regional dos Assuntos Sociais.

As declarações tiveram lugar na Festa Anual dos Dadores de Sangue do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira onde foram homenageados 169 dadores, 20 dos quais com medalha de Ouro (60 dádivas), 53 com medalha de Prata (40) e 96 com medalha de bronze (20 dádivas).

Francisco Jardim Ramos congratulou-se com a auto-suficiência deste serviço regional, que evita recorrer ao exterior. «É bom porque dá uma garantia àqueles que necessitam e é, também, um exemplo para o todo nacional, que por vezes tem ruturas de stock de sangue».

Na Região Autónoma da Madeira existem cerca de 2 mil dadores, sendo que tem existido uma renovação geracional de grande importância. Por outro lado, tal como aconteceu com um grupo de funcionários da Caixa Geral de Depósitos, há cada vez mais grupos interessados.

«Foi a primeira vez, na Região, que um grupo empresarial se juntou para serem dadores. Como foi a primeira vez, é um exemplo para outros grupos empresariais», disse ainda, sublinhando que dar sangue é um ato de cidadania.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest