PS exige presença de Jardim na moção de censura

Marcada para o dia 29 de Maio na Assembleia Legislativa da Madeira.

O líder do Partido Socialista, na Madeira, Victor Freitas, exige ao presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, que esteja presente no dia 29 de Maio, no Parlamento Regional, no debate e votação da Moção de Censura ao Governo Proposta pelos socialistas madeirenses. O deputado socialista disse hoje, em conferência de imprensa, que se Jardim não aparecer está a demonstrar a sua cobardia política e a ofender a população madeirense. “Será uma ofensa e um desrespeito aos madeirenses e porto-santenses e um acto de cobardia política”, atirou.

O parlamentar socialista afirmou que o que está a acontecer aos madeirenses e portossantenses se deve a Alberto João Jardim e ao PSD/M.

Sobre a moção de censura, Victor Freitas explicou que a apresentação da moção de censura “não é feita de ânimo leve e surge numa situação económica e social extremamente difícil para os madeirenses e portossantenses e surge também num ambiente político de instabilidade no seio do PSD/M”, lembrou, acrescentando que o Governo Regional não tem conseguido “governar a Região nem tirar a Região dos problemas”, em que a mergulhou.

“Nós não aceitamos tripla austeridade para o povo da Madeira e do Porto Santo. Não aceitamos que sejam os madeirenses a pagar pelos erros do PSD. Da parte do PS, não aceitamos que os madeirenses continuem a ser triplamente penalizados e que estejam à mercê, quer do governo da república, quer do Governo Regional irmãos, e irmãos também na desgraça que estão a colocar aos madeirenses e portossantenses”,vincou o deputado socialista.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [fbshare]


PUB