PS acusa Jardim de “rasgar palavra dada”

PS considera que o presidente do executivo regional não tem palavra e exige que seja o PSD/M a pagar a dívida oculta.

O PS/Madeira deu início hoje, em São Vicente, a iniciativa “Primeiro a Madeira” dedicada a este concelho. O primeiro encontro dos socialistas foi com a Associação de Desenvolvimento da Costa Norte da Madeira (ADENORMA). No final da reunião, em declarações à comunicação social o líder regional dos socialistas, Victor Freitas, acabou por abordar um assunto que está na ordem do dia, o pagamento de taxas moderadoras no serviço de urgência do Hospital Drº Nélio Mendonça, e o dispensa de enfermeiros a recibos-verbos, para dizer que Alberto João Jardim é um homem sem palavra.

Victor Freitas lembrou que antes das eleições de 2011 o presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, contou uma história ao povo mas está agora a fazer outra tendo para isso “rasgado a palavra dada” ao eleitorado.

“Hoje o que assistimos por quem nos governa são medidas que contrariam todo o discurso que foi feito pelo PSD/M no ano passado antes e depois da campanha eleitoral”, criticou o líder socialista, acrescentando que a vida dos madeirenses e portossantenses estaria muito melhor se quem fez a “dívida oculta assumisse perante as pessoas que fez a dívida de forma ilegal por não ter passado na assembleia e é sobre essas pessoas que deve recair o pagamento da dívida”.

Os socialista consideram que não foram os madeirenses que fizeram a dívida oculta e que deve de a pagar são “os senhores do PSD”. “A existir dívida, e existe como sabemos, quem tem de a pagar, é quem a fez nas costas da Assembleia e nas costas do povo sem ter mandato para fazer uma dívida daquela envergadura”, atirou.

 [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]


PUB