PS reclama por justiça

Victor Freitas considera que o Governo Regional deve ser ‘julgado’ pelo facto de ter contraído uma dívida oculta.

No segundo dia da iniciativa “Primeiro a Madeira”, que está a decorrer no concelho do Porto Moniz, os socialistas abordaram o relatório do Tribunal de Contas, divulgado ontem, sobre os Acordos de Regularização de Dívida referentes à denominada dívida oculta, contraída entre 2003 e 2010.

“O Governo Regional andou a esconder faturas, não tinha autorização para fazer essas despesas e fez uma dívida oculta. Essa dívida oculta, no valor de 757 milhões de euros, tem hoje responsabilidades em termos de juros. Ou seja, os madeirenses vão ter de pagar a nível de juros um valor de 404 milhões de euros”, apontou Victor Freitas, hoje em conferência de imprensa no Porto Moniz.

No entender do presidente do PS, a referida situação demonstra “a irresponsabilidade do governo do PSD nos últimos dez anos, do dr. Alberto João Jardim à cabeça, mas também dos senhores secretários, nomeadamente do ex-secretário Santos Costa que foi um dos principais responsáveis por esta dívida oculta”.

Desta forma, Victor Freitas exige que os governantes que fizerem dívida oculta “sejam responsabilizados perante a Justiça “pelas suas ações em relação ao uso” de dinheiros públicos. “Apelamos a que se faça de facto justiça, porque o que se tem feito até agora é injustiça. É que uns cometem os crimes, fazem os pecados e depois quem paga é o povo”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest