Autarquias querem reduzir fatura energética

Neste sentido, está em fase de elaboração um  plano diretor para a iluminação pública.

As câmaras municipais estão preocupadas com a faturação energética. “Nestes últimos anos temos tido um acréscimo em termos da faturação com a energia que já vai pesando bastante e é uma fatia bastante importante em termos dos orçamentos camarários”, frisou António Olim.

Para além do aumento do IVA, esta situação, no entender do presidente da Câmara Municipal de Machico e representante da IPM (Iluminação Pública da Madeira),  também se “deve ao forte investimento” em infra-estruturas rodoviárias e em outros tipos de equipamentos que requerem mais iluminação pública.

“A IPM tem já encetado reuniões, quer com a Empresa de Eletricidade da Madeira, quer com a AREAM, de modo a tentarmos elaborar um chamado plano diretor para a iluminação pública, no sentido de adotarmos soluções para reduzir o consumo de energia”, apontou António Olim.

Aquele responsável avançou, ainda, que após a elaboração do referido plano, será efetuada uma candidatura a fundos comunitários, tendo em vista a implementação de medidas no campo energético.

António Olim  falava esta manhã à margem de um workshop, promovido pela secção regional da Madeira da Ordem dos Engenheiros, subordinado ao tema “Documento de Referencia de Eficiência Energética na Iluminação”.

Na ocasião, foi apresentado um exemplo de poupança energética implementado pela Câmara Municipal de Oeiras. Segundo José Nunes, “Oeiras tem servido de referência” aos outros municípios limítrofes.

“Em Oeiras utilizamos, essencialmente, equipamento com refletores de nova geração, equipamentos com IP66 e balastros eletrónicos”, explicou o  consultor da Área de Iluminação Pública na Câmara Municipal de Oeiras, acrescentando que tem havido uma poupança energética na ordem dos 40%.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest