Governo pede moderação no consumo de água

A Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais enviou uma nota de imprensa a apelar à população que modere o consumo de água face à situação decorrente dos incêndios, a qual transcrevemos na integra:

“Ponto de situação do abastecimento de água potável à população e pedidos a esta sobre a melhor forma de gerir a água face à situação decorrente dos incêndios.

1 – Globalmente a situação do abastecimento de água potável está normalizada, apenas com problemas pontuais, em vias de solução. Os problemas pontuais são os seguintes:
– Os sítio da Fajã das Éguas e da Meia Légua, na Ribeira Brava, que estiveram com problemas nos últimos dias, acabam de ser recuperados, pelo que as redes já estão aduzidas. No entanto, dado que as infraestruturas foram atingidas pelos incêndios, é normal que a água apresente alguma coloração diferente e, em conformidade, as pessoas devem, nos próximos dois dias, fervê-la antes de a consumir.

– Também na Ribeira Brava, as zonas altas do Campanário, estão a ser aduzidas com o recurso a autotanques, razão porque podem sofrer algumas perturbações do consumo, no caso das pessoas não se limitarem aos consumos essenciais, razão porque se apela à restrição do consumo a estes.

– Na zona baixa do Campanário, a rede está aduzida, mas há alguns constrangimentos provocados por derrocadas no Canal do Norte, na sequência dos incêndios. Prevê-se a normalização do fornecimento nos próximos dois a três dias.

– No concelho de Santa Cruz, a situação está, globalmente, normalizada em termos de funcionamento das infraestruturas. No entanto, como a rede foi muito esvaziada dada a utilização de água nos incêndios, a normalização do uso da rede está também dependente do comportamento das pessoas. Isto é, se fizerem apenas o uso, como devem, para aquilo que é essencial, ficará normalizada a respetiva utilização nas próximas horas.

2 – Independentemente do consumidor se situar, ou não, em zonas afetadas, e valendo para todos os concelhos da Região, apela-se, de novo, à população para reduzir o consumo de água apenas ao que for essencial, ou seja, para uso humano, evitando consumos não essenciais, nomeadamente limpezas, que, a persistirem, poderão afetar os usos essenciais.

3 – Quanto à água de rega, sofreu algumas perturbações, decorrentes da necessidade de afetar água ao combate aos incêndios e ao abastecimento prioritário de água potável, pelo que, em alguns concelhos, e em algumas zonas, sofrerá perturbações nos próximos dias, mas estando os competentes serviços a fazer tudo fazer para repor o fornecimento”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest