Feirantes sem razões de queixa

Cerca de 25 espaços na Feira de Artesanato da Ribeira Brava. “As pessoas ainda aderem”.

A Câmara Municipal da Ribeira Brava organizou, durante o dia de hoje, uma Feira de Artesanato, cujo objetivo foi promover e preservar o artesanato enquanto valor cultural e fator de dinamização local e turístico.

Também no local, a Biblioteca Infantil proporcionou momentos de animação para as camadas jovens. Numa altura de férias, em que o concelho recebe inúmeros residentes e visitantes, estas iniciativas acabam por dinamizar todos os estabelecimentos comerciais.

Olinda Dias é uma presença assídua nas feiras que se realizam na Região. “Ultimamente as pessoas estão mais contidas, mas ainda aderem bem. Há um interesse pelos produtos naturais e, pessoalmente, não tenho razões de queixa”.

Na sua banca, os estrangeiros procuram saber como se confecionam os licores e os doces caseiros e até mesmo os madeirenses não resistem a experimentar. O mais procurado tem sido o licor de amora.

Nestas feiras, que aproveitando o bom tempo proliferam, vale sempre a pena participar. Sónia Quintal participa, pela terceira vez, na Feira de Artesanato da Ribeira Brava e mostra-se satisfeita com o resultado e com a organização geral.

“Mais vale vender um pouco mais barato e vender, do que colocar preços muito altos e não fazer nada”. Os seus artigos, entre os 5 e os 10 euros, são mais procurados pelos madeirenses.

Esta feira de artesanato contou ainda com um espaço dedicado à venda de automóveis. Lá, mais do que fazer negócio na hora, criou-se uma oportunidade de divulgação.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest