Mais animais abandonados

Fátima Gonçalves, da associação PATA, denuncia que muitas vezes as pessoas usam a crise como desculpa para abandonar os seus animais.

O verão é um período do ano em que se verifica um grande abandono de animais domésticos. Infelizmente, Fátima Gonçalves refere que as pessoas abandonam os seus animais durante todo o ano. “A partir do momento em que se passou a utilizar a palavra crise o abandono cresceu. Muitas vezes penso que não são só as dificuldades, mas é a forma ‘elegante’ das pessoas explicarem o abandono”, transmitiu.

A responsável da associação PATA (Porque os Animais Também se Amam) apontou, ainda, que, por vezes, os referidos abandonos acontecem sobretudo no seio das famílias com mais posses económicas. “As pessoas que têm mais dificuldades económicas muitas vezes são aquelas que vão fazendo todos os possíveis para não abandonar os seus animais. Inclusive, tem havido pessoas que nos têm pedido ajuda exatamente porque têm dificuldades, mas querem manter os seus animais junto de si”, frisou.

Fátima Gonçalves considera que a esterilização é a melhor solução para reduzir o número de animais errantes. “Porém, não basta apenas esterilizar os animais que estão na rua. É necessário começar por dentro de casa, ou seja, esterilizar os animais das famílias com dificuldades. A ideia é diminuir as ninhadas e, assim, fazer com que as pessoas não deem irresponsavelmente as crias, as quais mais tarde são abandonadas”, salientou.

Neste momento, a PATA tem cerca de duas dezenas de animais (cães e gatos) para adoção. Todavia, Fátima Gonçalves lamenta que as pessoas têm adotado cada vez menos, talvez, como refere, “por causa da tão propalada crise”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest