“Raízes do Atlântico” custa 47 mil euros

Uma verba inferior ao ano passado, mas que garante a mesma qualidade.

IMG_5295A Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes apresentou hoje o Festival “Raízes do Atlântico”. O evento está orçamentado em cerca de 47 mil euros, uma verba inferior à do ano passado (62 mil euros) mas que garante a mesma qualidade, afirmou a secretária regional, Conceição Estudante.

Este ano, ainda antes dos espetáculos que terão lugar de 17 a 19 de julho, a edição surge com um figurino renovado, contando com a “inclusão, no programa, de um workshop e de uma conferência especialmente vocacionada para os profissionais e agentes culturais, assim como a realização de ações de animação de rua, assumem-se como novidade e visam, essencialmente, a maior promoção do Festival”.

No primeiro dia do “Raízes do Atlântico” sobe ao palco, pelas 21h, o grupo Banda D’Além, grupo de recolha e divulgação da tradição poético-musical da Madeira e do Porto Santo, e pelas 22h30 terá lugar o concerto de Rão Kyao, instrumentista e compositor de referência da música portuguesa.

Segue-se, no dia 18, a presença em palco de Dany Silva, músico, cantor e compositor cabo-verdiano. Já a segunda parte do programa, com início marcado para as 22h30, terá como protagonista Júlio Pereira. O encerramento fica a cargo dos grupos “Couple Coffee” e “Quinteto MedioAtlântico”.

A governante explicou que esta é “mais uma atração que a Madeira pode e deve rentabilizar a seu favor, enquanto destino turístico cultural, afirmando-se no mercado pela diferenciação de conteúdos e pela apresentação de eventos que valorizem, divulguem e salvaguardem a identidade madeirense. É, igualmente, mais uma oferta musical que, neste mês de Julho, vem complementar as restantes atuações de que a Madeira e a cidade do Funchal, em particular, têm sido palcos”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest