“Apontamentos de Etnografia Madeirense” é mais que um livro

A obra “Apontamentos de Etnografia Madeirense” de António Marques da Silva não deve ser apenas visto como um livro, mas sim como um manual, que até deveria ser ensinado nas escolas. A opinião é de Natércia Xavier, diretora Regional da Cultura, que esteve presente ontem na apresentaçao de mais aquele livro editado pela DRC.

Na ocasião, a diretora regional agradeceu à família Marques da Silva por ter “depositado” na DRC a confiança e a honra da publicação destes textos e sublinhou que com isto se cumpriu uma vez mais o papel daquela direção regional em termos de criaçao de referências, de dar bússolas à população para a compreensão da nossa história. E esse é um papel que a DRC tem vindo a cumprir há 35 anos com a trabalho que tem sido feito ao nível editorial, um trabalho que este ano já se cumpriu em 5 lançamentos, incluindo de um DVD, e que, até ao final do ano, incluirá ainda outros 4 lançamentos, onde se incluem um livro infanto -juvenil e o 59º número da revista Islenha.

Num auditório repleto de pessoas de vários quadrantes da sociedade regional, João David Pinto Correia, Professor Aposentado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, especialista em Literatura Oral e Tradicional, grande conhecedor da etnografia madeirense, fez a apresentação deste livro, dando-o a conhecer aos presentes e afirmando ter ficado “fascinado com este livro” que dá a conhecer os usos e costumes de São Jorge e todo a ilha da Madeira.

Já António Ribeiro Marques da Silva, filho do autor, agradeceu à DRC a publicação da obra e, recordando o seu pai, afirmou achar que era “um etnólogo”, pela forma como descreve “o mundo diferente” que encontrou em São Jorge há quase cem anos.

O livro “Apontamentos de Etnografia Madeirense” está já disponível para compra nos lugares habituais.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger