«Ig Nobel» premiaram estudos mais absurdos do ano

Os Prémios «Ig Nobel», que premeiam os estudos mais estranhos do ano, tiveram a sua 26ª Edição esta quinta-feira. Os grandes vencedores foram dois estudos, um sobre calças para ratos, o outro sobre a veracidade dos mentirosos. A cerimónia decorreu na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e entregou prémios no valor de 36 cêntimos.

Entre os grandes destaques da cerimónia esteve o urologista egípcio Ahmed Shafik, que desenhou umas calças para ratos masculinos e acabou por concluir que as calças de poliéster diminuíram a actividade sexual dos animais.

Ahmed Shafik fez um dos estudos bizarros, mas os «Ig Nobel» revelaram outro igualmente intrigante. O prémio da psicologia, por exemplo, que foi entregue a investigadores dos Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Bélgica e Holanda por uma investigação que questionou cerca de mil “mentirosos” que admitem mentir com muita frequência.

O estudo concluiu que as crianças e os adolescentes são os mais mentirosos, enquanto os adultos mentem em média duas vezes por dia. E que as pessoas têm menos tendência a mentir à medida que envelhecem.

Os prémios «Ig Nobel» existem há 25 anos. Os autores dos estudos mais absurdos do ano ganham 10 mil milhões de dólares zimbabuenses, uma moeda extinta. São considerados prémios que “primeiro fazem as pessoas rir, e depois as fazem pensar.”

Pin It on Pinterest