Guterres: empenho, empatia e visão para um mundo em crise

O LIVRE felicita António Guterres pela recomendação para o cargo de Secretário-Geral da ONU que o Conselho de Segurança anunciou hoje e que passará ainda por um voto formal endossando o seu nome à Assembleia Geral das Nações Unidas. «No processo mais aberto e transparente de sempre, ficaram patentes as qualidades únicas do ex-Alto Comissário para os Refugiados, e ex-primeiro-ministro de Portugal: capacidade de trabalho e entrega, compaixão e visão estratégica. Guterres demonstrou também independência: não é o candidato de nenhuma super-potência, e saberá trabalhar com todos os países. A sua seleção será uma boa notícia para uma ordem internacional em profunda crise e a precisar de rasgo e coragem.
Talvez nunca de forma tão profunda desde a fundação da ONU se sinta hoje um distanciamento tão grande entre os valores universais dos direitos humanos e o enclausuramento e desresponsabilização dos estados em relação a eles: na crise dos refugiados, na tragédia da Síria, na crise ecológica, no regresso dos nacionalismos e nos impasses da globalização. Que os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança tenham decidido não vetar o nome do candidato que melhores provas públicas tinha dado é apesar de tudo um sinal de algum bom senso. António Guterres terá toda a autoridade moral para prosseguir com o muito trabalho necessário a partir daqui.
Está também de parabéns a diplomacia da República Portuguesa, logo no dia do 106º aniversário desta. Não poderia haver melhor incentivo para que cumpramos com os objetivos humanitários e universalistas que pautaram a proclamação da República. Ao governo e aos diplomatas que trabalharam com tanta eficácia para que a qualidade do candidato permitisse chegar a este bom resultado acima de tudo para a ONU. Para lá do normal contentamento com a eleição de um português devemos lembrar-nos de que aos sete mil milhões de humanos que cabe agora representar. Em particular fazemos votos para que os estados-membros e a máquina da ONU ajudem Guterres a cumprir com a sua promessa de rapidamente obter a paridade de género na organização com as nomeações dos próximos anos».

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger