Importância de divulgar o TEV no doente oncológico

No dia 13 de outubro é comemorado o Dia Mundial da Trombose, assinalando o aniversário de Rudolf Virchow, médico alemão que desenvolveu o conceito de trombose e identificou os 3 fatores que contribuem para a ocorrência da trombose (alteração da coagulação, lesão da parede do vaso e diminuição do fluxo sanguíneo). Este foi um passo fundamental para o entendimento que hoje temos desta doença.

Reconhecido pela primeira vez em 2014 pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostase (ISTH), este dia resultou numa companha global a decorrer em vários países e que pretende focar a atenção dos doentes e familiares, dos profissionais de saúde e das entidades responsáveis nesta temática, alertando para as suas causas, fatores de risco, sinais e sintomas e evidência científica na prevenção e tratamento.

Este é fundamentalmente um dia de sensibilização e consciencialização da Trombose, ao qual o Grupo de Estudos de Cancro e Trombose (GESCAT) não podia deixar de aderir. Porque o doente oncológico é claramente um doente de risco, porque o impacto de um episódio de trombose é marcante na sua qualidade de vida, porque a trombose pode colocar em risco a vida do doente com cancro.

E porque está ao alcance de todos intervir nesta doença que é potencialmente prevenível e tratável e em que toda a comunidade pode e deve estar envolvida na prevenção, no diagnóstico precoce e no tratamento adequado.

Um outro objetivo desta campanha é promover a partilha de ideias, experiências e realidades. Queremos ouvir os testemunhos dos doentes, dos profissionais de saúde e da comunidade em geral, afirmando a promoção do diálogo em prol da saúde.

Porque nunca é demais informar sobre o impacto da trombose no doente oncológico, contamos com a vossa participação e divulgação!

 

Ana Pais Oncologista do IPO de Coimbra Presidente do Grupo de Estudos de Cancro e Trombose
Ana Pais
Oncologista do IPO de Coimbra
Presidente do Grupo de Estudos de Cancro e Trombose

 

Pin It on Pinterest