Militares da Força Aérea detidos pela presumível prática dos crimes de corrupção

A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, em inquérito titulado pelo DIAP de Lisboa, com a colaboração da Polícia Judiciária Militar, deteve, até agora, cinco homens, pela presumível prática dos crimes de corrupção ativa e corrupção passiva para ato ilícito e de falsificação de documentos.

A atividade criminosa consistia na faturação de géneros alimentícios fornecidos à Força Aérea por um valor muito superior ao dos géneros efetivamente fornecidos, sendo a diferença posteriormente distribuída, entre as empresas fornecedoras e os militares envolvidos neste esquema fraudulento que, poderá ter lesado o Estado num valor que, segundo se estima, poderá rondar os 10 Milhões de Euros.

No decurso das 180 buscas, que decorrem em simultâneo em 12 bases militares, em 15 empresas e em diversos domicílios, foram apreendidas elevadas quantias em dinheiro, que se presume que sejam produto da prática dos crimes, bem como outros elementos de grande relevância investigatória.

Nesta operação, desencadeada depois de um ano e meio de uma complexa investigação da PJ, com a colaboração da PJM, participaram cerca de trezentos e trinta investigadores e peritos da Polícia Judiciária, de diversas unidades orgânicas, acompanhados por cerca de quarenta elementos da Polícia Judiciária Militar, bem como vinte e sete magistrados do Ministério Público.

A Polícia Judiciária contou desde o início da investigação com a colaboração, ao mais alto nível, da Força Aérea.

Os detidos irão ser presentes às autoridades judiciárias competentes para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Pin It on Pinterest