Marinha treina Força Naval

A Marinha iniciou o exercício naval INSTREX, que se realiza até 18 de novembro, cujo principal objetivo é proporcionar treino próprio à esquadra e à Força Naval Portuguesa (FNP), a fim de assegurar a prontidão, a eficiência e a eficácia da Marinha na condução de operações navais em resposta a cenários de crise.

O exercício realizado na costa oeste de Portugal Continental é composto por duas fases. Uma primeira fase no porto, a fim de se efetuar adestramento em áreas setoriais e alcançar uma primeira integração dos navios em força. A segunda, já no mar, visa de forma gradual e progressiva envolver os diferentes meios navais e forças num cenário complexo e exigente, com o propósito de manter e melhorar os padrões de prontidão operacional estabelecidos.

O INSTREX é um exercício semestral, contando nesta edição com diversos meios entre os quais, as fragatas Bartolomeu Dias e Vasco da Gama, a corveta António Enes, o submarino Arpão e o navio reabastecedor de esquadra Bérrio. No exercício participam ainda outros meios e forças da Marinha, como a lancha de fiscalização Hidra que, juntamente com forças de fuzileiros, mergulhadores e operações especiais, envolvem no total cerca de 500 militares da Marinha Portuguesa. É de realçar que a Força Aérea Portuguesa irá participar no exercício com aeronaves para treino de operações aeronavais.

A Força Naval Portuguesa é comandada pelo Capitão-de-mar-e-guerra Manuel Silvestre Correia, estando o comando e o respetivo Estado-maior da força embarcado no NRP Bartolomeu Dias. A FNP é uma força operacional com elevada prontidão, à qual são atribuídas Unidades Navais, Fuzileiros e Mergulhadores para a execução de operações expedicionárias marítimas ou para integração em forças operacionais conjuntas, constituindo-se como a componente naval da Força de Reação Imediata (FRI).

Pin It on Pinterest