Volvo Ocean Race 2017/18 já mexe na Doca de Pedrouços

Em outubro Lisboa volta a receber a maior regata à volta do mundo, mas a cidade é agora o centro nevrálgico da prova náutica. Uma espécie de dupla capital, que tem agora instalado o estaleiro da Volvo Ocean Race (Boatyard), onde são preparados todos os veleiros.

“Isto está a ser um sucesso a todos os níveis”, diz Rodrigo Moreira Rato, responsável pela comunicação da prova, sublinhando que “o feedback das equipas é muito maior”. Às condições naturais e à beleza da cidade de Lisboa alia-se o localização do Boatyard, na Doca de Pedrouços, no antigo edifício da Doca-Pesca, que “parece ter sido construído com este fim”, diz Moreira Rato.

Já estão no estaleiro os sete barcos da última edição, o oitavo está ainda a fazer a colagem do casco e chegará dentro três semanas, sensivelmente. No local estava a Dongfeng Race Team, equipa patrocinada pelo segundo maior construtor automóvel chinês que ficou em terceiro lugar na última edição e acalenta a esperança de poder vencer a prova.

A operação tem cerca de oito a 12 portugueses envolvidos e aquele responsável afirma que o impacto económico previsto inicialmente na economia local será ultrapassado. A estimativa era de um milhão e meio de euros, e só o parceiro de velas da Volvo Ocean Race juntou na semana passada cerca de 230 pessoas na capital durante três dias, para a sua reunião global. “Não é só o que geramos aqui mas também o que geramos à volta”, sublinha, para adiantar que que todos os botes de borracha da próxima edição serão iguais para todas as equipas e fabricados em Portugal.

O impacto é nacional, diz ainda, revelando a título exemplificativo que a equipa holandesa vai para a Madeira treinar, quando normalmente o faziam nas Canárias. “Está-se a utilizar cada vez mais o mar português e este é um projeto pensado para ficar mais dez anos em Portugal”, frisa.

As equipas recebem os barcos até maio/junho (um barco em cada três semanas), até meados de agosto saem para compromissos comerciais e treino, ainda no mês de agosto realiza-se uma regata entre Inglaterra e Lisboa, em outubro seguem para Alicante, onde tem início, no dia 14 desse mês, a primeira etapa da prova em direção a Lisboa. De Lisboa, a regata sai em 5 de novembro para a Cidade do Cabo na África do Sul.

Qualquer pessoa interessada em conhecer as instalações ou procurar parcerias pode contactar a organização, “temos todo o gosto em que venham cá ver o que estamos a fazer e se tiverem empresas ou tecnologia que possa ser aproveitada à Volvo, quem sabe possam vir a fazer parte desta família”, diz.

Pin It on Pinterest