Consumo privado abranda e investimento acentua crescimento

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística, em março, o indicador de confiança dos consumidores na Área Euro (AE) aumentou ligeiramente, tendo o indicador de sentimento económico estabilizado. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -2,4% e -6,3% (0,5% e 0,3% em fevereiro, respetivamente).

Em Portugal, o indicador de clima económico, disponível até março, aumentou. O indicador de atividade económica diminuiu em fevereiro, interrompendo o movimento ascendente observado desde agosto. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou em fevereiro, refletindo um contributo positivo menos expressivo da componente de consumo corrente. O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) acelerou devido ao comportamento das componentes de construção e de material de transporte. Refira-se que os indicadores de atividade económica, con-sumo privado e de FBCF correspondem a novas séries que são apresentadas na caixa no final desta publicação.

Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 13,3% e 14,7% em fevereiro, respetivamente (12,9% e 14,7% em janeiro). Considerando a atividade económica na perspetiva da produção, refira-se que os índices de volume de negócios da indústria e dos serviços registaram uma desaceleração em fevereiro. Por sua vez, o índice de produção da construção e obras públicas acelerou em fevereiro.

A estimativa provisória da taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 10,0% em fevereiro (taxa inferior em 0,1 p.p. ao valor definitivo observado em janeiro), o que compara com 10,5% há três meses e 12,2% no período homólogo de 2016. A estimativa para a população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, apresentou um aumento homólogo de 2,8% em fevereiro (variação homóloga de 2,7% em janeiro) e um crescimento em cadeia de 0,1% (variação idêntica no mês anterior).

A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) situou-se em 1,4% em março (1,6% em fevereiro), observando-se taxas de variação de 1,5% na componente de bens (1,7% no mês anterior) e de 1,2% na de serviços (1,4% em fevereiro).

Pin It on Pinterest