Polícia Marítima fiscaliza apanha de bivalves contaminados com toxinas

O Comando-local da Polícia Marítima de Aveiro desenvolveu, durante o passado dia 1 de junho, uma ação de fiscalização da orla marítima, a qual resultou na apreensão de cerca de 12 kg de ameijoa-japónica, após a interceção de um individuo, equipado com fato de mergulho, que ao aperceber-se da embarcação da Polícia Marítima, se colocou em fuga, abandonando as capturas dissimuladas na água, bem como todo o material de mergulho utilizado na captura dos bivalves, no Canal do Espinheiro, em Aveiro.

Como resultado da ação, a amêijoa foi apreendida e, posteriormente, devolvida ao seu habitat natural por se encontrar interdita a captura de várias espécies, onde se inclui ameijoa-japónica, devido à presença de toxinas, conforme Edital da Capitania do Porto de Aveiro, devidamente publicado.

A interdição da captura de bivalves, contaminadas por toxinas marinhas, aplicam-se ao público, mariscadores profissionais e armadores, independentemente do processo de captura, conforme a orientação diária do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Relembra-se ainda que a ingestão de bivalves contaminados por toxinas marinhas pode causar graves problemas de saúde.

 

 

 

Pin It on Pinterest