Coreia do Norte contorna sanções através de empresas de fachada

A Coreia do Norte estará a contornar as sanções internacionais através de um complexo sistema de empresas de fachada que lhe permite angariar fundos e celebrar os contratos necessários para o seu programa militar.

O instituto C4ADS de Washington revelou, num relatório publicado hoje, que as sanções destinadas a atingir Pyongyang não são suficientes para fazer o país renunciar ao seu programa nuclear e balístico.
A Coreia do Norte realizou em Setembro o quinto teste nuclear, que gerou condenação internacional e endurecimento das sanções. A mais recente vaga de medidas internacionais foi anunciada no início do mês em resposta à multiplicação de testes de mísseis.
Com o aumento das sanções, o regime norte-coreano desenvolveu a capacidade de “mascarar” as suas actividades ilícitas no estrangeiro, encobrindo-as através de transacções comerciais aparentemente legítimas, indica o relatório.
Em Setembro, este «think tank» apontava a importância de uma empresa chinesa, a Dandong Hongxiang Industrial Development, para os programas norte-coreanos. Este grupo, que vende produtos que podem ter tanto aplicações civis como militares, exportou para a Coreia do Norte 171 milhões de dólares em material entre 2011 e 2015, enquanto as suas importações chegaram aos 360 milhões. Sanções contra esta empresa foram aplicadas por Washington e Seul.
O C4ADS destaca que apesar de 67.163 empresas chinesas terem negócios com a Coreia do Sul, apenas 5.233 o fazem com o Norte, o que torna mais fácil a aplicação de sanções a estes grupos económicos.

Pin It on Pinterest