Recolha de óleos alimentares usados com fins solidários

A Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, assinou, em nome da Autarquia, um protocolo com a Óleotorres e o Grupo Sousa, para a realização da “Campanha de Recolha de Óleos Alimentares Usados – Por uma Causa Ambiental e Social”, que terá como objetivo mobilizar os funchalenses para este tipo de reciclagem de resíduos, promovendo a sensibilização para a temática dos óleos alimentares usados (OAU) e, ao mesmo tempo, apoiar uma causa social. A campanha terá lugar de julho a setembro e a quantidade de resíduos recolhidos será convertida num apoio financeiro que será atribuído à Fundação Cecília Zino, uma instituição de Solidariedade Social do concelho que apoia crianças desfavorecidas.

Idalina Perestrelo enalteceu a importância desta “conjugação de vontades, que alia duas causas tão importantes, como a ambiental e a social.” A autarca, que tem o pelouro do Ambiente no Município, recorda que “este ainda é um tipo de resíduos em relação aos quais as pessoas se deparam com dificuldades para proceder a uma deposição seletiva correta e é nessa sensibilização que queremos investir.”

A autarca anunciou, para o efeito, que “com a aprovação da candidatura ao POSEUR do projeto para o reforço da recolha seletiva de resíduos no concelho, serão colocados até à próxima semana 30 novos oleões públicos no Funchal, de forma a multiplicar os locais de deposição de óleos alimentares usados para todos os munícipes. Esta campanha é, por isso, um primeiro passo para envolver a população e chamar à atenção para a importância deste tipo de recolha, neste caso, e ainda mais, com os propósitos sociais que lhe estão subjacentes.”

Idalina Perestrelo apela, por isso, “a toda a população para que participe e deposite estes resíduos nos oleões da cidade. Também porque, quanto maior for a quantidade de resíduos recolhidos, maior será a ajuda à Fundação Cecília Zino”, conclui.

Atualmente, o Município do Funchal tem ao dispor da população cinco oleões para a deposição de OAU e, no ano de 2016, foram recolhidos 910kg deste tipo de resíduos. Estes serão agora renovados, com a instalação de 30 novos oleões na Baixa da cidade, num reforço significativo desta recolha seletiva, com o intuito de que os munícipes adquiram o hábito de depositar os seus óleos alimentares usados de uma forma correta, sustentável e amiga do Ambiente.

A Autarquia já estabeleceu, igualmente, contatos com várias entidades comerciais e hoteleiras, como são os casos do Grupo Porto Bay, do Grupo Pestana e do Centro Comercial La Vie, para que, durante o período em que decorre esta iniciativa, estes entreguem à Autarquia os seus óleos alimentares usados, através de tanques próprios que serão cedidos pelo Departamento de Ambiente para esse efeito.

A CMF tem em vigor com a Óleotorres um protocolo assinado em maio de 2013, para que a empresa recolha os OAU depositados nos cinco oleões públicos da cidade, pagando à Autarquia 40 euros por tonelada de óleo recolhida. No protocolo agora estabelecido, para o período compreendido entre julho e setembro de 2017, a Óleotorres compromete-se a pagar 220 euros por tonelada de OAU recolhidos nos novos oleões públicos do Funchal, nas unidades hoteleiras e no centro comercial, sendo essa verba integralmente entregue à Fundação Zino. O Grupo Sousa irá, por sua vez, assegurar o transporte marítimo para Portugal Continental de até 56 toneladas de resíduos, sem quaisquer custos associados.

Recorde-se que a Campanha “Por uma Causa Ambiental e Social” tem sido dinamizada em várias frentes pelo atual Executivo camarário desde o ano passado, tendo permitido ajudar, até agora, várias instituições de solidariedade social do concelho. De momento, decorre, aliás, uma outra campanha idêntica, mas com vista à reciclagem de equipamentos eletrónicos usados, promovida em parceria com a empresa Resatlântico, e que apoiará, neste caso, a Delegação da Madeira do CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger