Investigadores criam aplicação que consegue detetar sinais associados ao cancro do pâncreas

De acordo com a Science Magazine, investigadores norte-americanos criaram uma aplicação que, depois de analisar as selfies do utilizador, consegue detetar e alertar se existem sinais que possam estar associados ao cancro do pâncreas.

A icterícia é um dos primeiros sintomas e faz com que os olhos e a pela da pessoa fiquem com tons mais amarelados, isto devido à acumulação de bilirrubina no sangue. É neste ponto que a BiliScreen, a app desenvolvida pelos investigadores, se foca conseguindo detetar os níveis de bilirrubina na parte branca dos olhos do utilizador.

A apresentação está marcada para dia 13 de setembro, durante a UbiComp 2017. O processo de análise recorre à câmara do smartphone a um determinado algoritmo computacional.

Os testes realizados tiveram em conta a variação das condições de iluminação e, para testarem vários cenários, a equipa de investigadores testou o mecanismo com óculos de papel com quadrados coloridos, para ajudar no calibre da cor, e numa caixa 3D, para bloquear a luz ambiente.

Os testes foram realizados a 70 pessoas, que foram submetidas à análise por parte da aplicação que conseguiu identificar corretamente 89,7% das vezes os casos positivos.

A aplicação foi concebida para ser uma ferramenta fácil de utilizar que pode ajudar a determinar se alguém deveria ou não consultar um médico para novos testes.

Pin It on Pinterest