Governo Regional desafia distribuição a apostar mais nos queijos locais

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas desafiou ontem, em Lisboa, a distribuição de queijo em Portugal a apostar ainda mais nas produções locais e a indústria a acompanhar as novas tendências de mercado e as opções de escolha dos consumidores.

“É importante que a distribuição aposte ainda mais nas produções locais. É imprescindível que a indústria acompanhe as novas tendências dos mercados e as opções de escolha dos consumidores, que estão em constante evolução”, afirmou João Ponte, na cerimónia de entrega dos prémios do concurso Queijos de Portugal 2017.

Na sua intervenção, João Ponte considerou também fundamental que as indústrias encontrem nichos de mercado para os queijos locais, que valorizem o produto, mas também o leite ao produtor, “porque não há indústria sustentável que possa sobreviver sem produtores”.

Para o Secretário Regional, outro importante desafio no futuro próximo passa por fidelizar os consumidores às produções nacionais. “Temos, contudo, de contar com a alteração dos hábitos alimentares, principalmente dos jovens, com a concorrência das linhas brancas, com as campanhas negativas de consumo de produtos lácteos e que estamos a operar num mercado nacional de reduzida dimensão”, salientou João Ponte, considerando que Portugal “continua ainda a importar muito queijo e nem sempre valoriza as produções nacionais”.

Atualmente, Portugal importa anualmente cerca de 51 mil toneladas de queijo, sendo os Açores responsáveis por 50% do queijo produzido no país, ou seja, 29 mil toneladas.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger