Governo anuncia estratégia de recuperação das listas de espera cirúrgicas

O Secretário Regional da Saúde anunciou sexta feira, em Angra do Heroísmo, a criação de Planos Urgentes de Cirurgias, denominados CIRURGE, que serão implementados pelos três hospitais dos Açores.

Estes planos integram uma estratégia transversal de recuperação das listas de espera cirúrgicas assente no melhoramento do Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia dos Açores (SIGICA). “O que se pretende com estas medidas é criar as condições para que, no final do próximo ano, não haja utentes inscritos para cirurgia com data de inscrição anterior a 1 de janeiro de 2015”, frisou Rui Luís.

O Secretário Regional, que falava à margem da apresentação do CIRURGE, referiu que “este programa é um complemento à otimização dos tempos de utilização dos blocos operatórios e aos programas de produção acrescida cirúrgica”.

Os planos CIRURGE visam, através da realização extraordinária de cirurgias, intervencionar os utentes com maior antiguidade na lista de inscritos para cirurgia e podem abranger apenas as especialidades com utentes inscritos para cirurgia há mais de 540 dias.

“A execução destes planos, por especialidade, vai abranger obrigatoriamente os utentes com maior tempo de espera, sendo a programação dos doentes a intervencionar efetuada por ordem de antiguidade”, afirmou Rui Luís, acrescentando que “a realização de cirurgias urgentes é assegurada pela produção cirúrgica regular dos hospitais”.

Em 2017, este programa contempla uma verba de 175 mil euros para a sua execução, a título experimental, estando previsto para 2018 um reforço substancial daquela verba.

Rui Luís anunciou que, no âmbito dos programas de produção acrescida cirúrgica, será permitida a realização de atos cirúrgicos em produção acrescida até ao limite de 35% dos atos realizados em produção regular do serviço, limite que antes estava fixado em 25%.


PUB