Mais IVA menos compras

 

Para perceber o peso que a eliminação da taxa intermédia do IVA terá nos bolsos dos madeirenses, o Cidade Net foi às compras e escolheu alguns dos produtos que passarão a ser facturados pela taxa normal do IVA.

Com a eliminação da taxa intermédia do IVA (Lista II) as facturas das nossas compras vão aumentar substancialmente aquando, por exemplo, da aquisição de uma série de géneros alimentares. Assim, os óleos alimentares, a fruta, os frutos secos, o vinho, as refeições congeladas e o café serão alguns dos artigos que constarão da lista dos aumentos a partir de 1 de Janeiro de 2012.

A nível dos referidos produtos, em Portugal Continental a taxa intermédia de IVA subirá de 13% para 23%. No caso da Região Autónoma da Madeira, a referida taxa deverá aumentar de 9% para 18%, isto se o Governo da República “não penalizar” o arquipélago madeirense pelo despesismo e pela ocultação da dívida.

Recorde-se que, ainda antes de ser conhecido o buraco financeiro da Madeira, a ‘troika’ já defendia a necessidade de mais medidas de cariz fiscal nas regiões autónomas. Sendo assim, tanto em sede de IRC como de IVA, o Estado deve limitar a diferença das taxas a um máximo de 20%, em comparação com as praticadas no continente. Isto levaria, por exemplo, que a taxa de IVA subisse para os 18% na Madeira.

No sentido de saber o peso que a eliminação da taxa intermédia do IVA terá nas carteiras das famílias madeirenses, o Cidade Net deslocou-se a uma superfície comercial do Funchal e escolheu alguns dos produtos que estarão sujeitos a um aumento de preço.

Por exemplo, o óleo Fula alimentar que hoje custa 1,89 euros com o aumento da taxa de IVA passaria a custar 2,04 euros, ou seja mais 15 cêntimos. Por sua vez, uma caixa de tâmaras secas, que hoje custa 1,49 euros, ficará a custar 1,61 euros (+ 12 cêntimos).

Paralelamente, a banana regional, símbolo da Madeira, que hoje custa 1,49 euros/kg passaria a custar 1,61 euros, isto é mais 12 cêntimos. Já um pacote de arroz e ervilhas congelados da marca Iglo passaria de 2,99 euros para 3,24 euros, sensivelmente mais 25 cêntimos.

O café e o vinho também constam da lista dos produtos que deverão aumentar. Por exemplo, um frasco de 200 gramas de Nescafé Clássico que actualmente custa 6,98 euros ficará a custar com a nova taxa de IVA 7,55 euros, precisamente mais 57 cêntimos. Já uma garrafa de vinho tinto Grão Vasco passaria dos actuais 2,93 euros para os 3,17 euros (+ 24 cêntimos).

Fazendo as contas, a despesa total dos seis produtos comprados foi de 17,77 euros. Caso o IVA fosse taxado a 18% o consumidor madeirense pagaria 19,22 euros, isto é mais 1,45 euros. É caso para se dizer que o aumento do IVA reduz o poder de compra. J.T.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

 

Pin It on Pinterest