Medidas do GR são um apelo à precariedade

O PS/Madeira prossegue as reuniões com os sindicatos da Madeira, desta feita com o Sindicato da Hotelaria e Similares. Serrão critica “castigo” aos trabalhadores e as medidas que ‘matam’ a economia.

O Partido Socialista da Madeira reuniu, hoje à tarde, com o Sindicato da Hotelaria e Similares. Jacinto Serrão auscultou as preocupações do sector e deixou um apelo à contestação das medidas apresentadas pelo Governo da República, do PSD e do CDS/PP.

“As políticas deste governo são um ataque colossal ao estado de direito e um apelo claro à precariedade social e laboral. Estas medidas vão retroceder mais de 30 anos num conjunto de conquistas que tanto custaram aos movimentos sindicais”.

O líder dos socialistas mostrou-se, uma vez mais, do lado dos trabalhadores madeirenses e portossantenses, bem como das iniciativas que venham a desenvolver para defender os seus direitos sociais.

“O Governo do PSD e do CDS/PP está a fazer um ajuste de contas”, disse, sublinhando que os sacrifícios não podem atingir os mesmos de sempre, mas sim os sectores económicos que não vão fazer as devidas remunerações.

Na Região Autónoma da Madeira, atendendo às medidas de austeridade, as receitas “vão matar o doente”, em vez de promover a economia e os diversos sectores de actividade, concluiu Jacinto Serrão.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest