Alerta para a discriminação das pessoas com diabetes

Assinala-se, na segunda-feira, o Dia Mundial da Diabetes. Muitos doentes ainda são discriminados.

 

A Federação Internacional da Diabetes – região Europa, aproveitando o Dia Mundial da Diabetes, que se assinala na segunda-feira, alerta para os casos de discriminação das pessoas com diabetes, não só os adultos como as crianças nas escolas, o que promove a sua exclusão social e dificuldade de aprendizagem.

“A discriminação das crianças com diabetes é alarmante e uma realidade que ainda existe. Os problemas vão desde a recusa no acesso a creches ou escolas pré-primárias ou não dar as condições necessárias para a administração de insulina ou a medição dos níveis de açúcar no sangue, passando pela exclusão nas atividades desportivas e viagens escolares”, alerta João Nabais, presidente daquele organismo.

E acrescenta: “As pessoas com diabetes são discriminadas no seu local de trabalho, muitas são penalizadas em mais de 150% em seguros de vida para compra de habitação, ou simplesmente são excluídas dos seguros de saúde porque esses não têm cobertura para pessoas com diabetes”.

Para assinalar o Dia Mundial da Diabetes, a Federação Internacional da Diabetes- região Europa vai promover várias ações de sensibilização, das quais uma no Parlamento Europeu, no dia 15 de Novembro.

“Acredito que podemos fazer a diferença e começar já a atuar pela mudança, pois não podemos ficar de braços cruzados, por um lado, ao ver os números de diabéticos a aumentar em flecha, e por outro lado, ao saber que existem diabéticos que sofrem discriminação pela sua doença”, conclui.

A Federação Internacional da Diabetes representa atualmente 62 associações de diabetes em mais de 46 países europeus, defendendo os direitos de cerca de 53 milhões de pessoas com esta doença. A região da Europa tem a segunda maior taxa de prevalência da diabetes (8,4%).

A diabetes tipo 1 é uma doença crónica provocada pela falta absoluta de insulina devido à destruição de células do pâncreas que produzem esta hormona. A diabetes tipo 2, também conhecida como diabetes não-insulino dependente, ocorrem em pessoas que herdaram uma tendência para a doença (história familiar).

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest