SJ defende jornalistas da RTP e da Lusa

O Sindicato dos Jornalistas contestou hoje o relatório sobre o serviço público e defendeu os jornalistas da RTP e Lusa.

A Direcção do Sindicato dos Jornalistas (SJ) considerou hoje que o relatório do grupo de trabalho nomeado pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, para definir o serviço público pouco mais faz do que coligir opiniões de elementos do grupo de trabalho de apoio à privatização da RTP, mas contém expressões ofensivas para os jornalistas e propostas perigosas para a democracia.

Em comentário ao documento divulgado hoje, a direcção do SJ considera “inaceitável a alimentação da suspeita de que a RTP e a Lusa são controladas pelo governo” e desafia o grupo a demonstrar as suas afirmações ou a retractar-se publicamente.

O SJ rejeita também o “acantonamento da informação dos serviços de rádio e televisão em pequenos noticiários”, como pretende o referido grupo, e discorda da extinção da RTP Informação, da submissão da RTP Internacional à tutela dos Negócios Estrangeiros e da extinção da RTP Madeira e da RTP Açores.

[twitter style=”vertical” float=”left”]

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest