SPM exige conhecer negociações com Ministério da Educação

Sindicato dos Professores da Madeira quer que a secretaria da Educação negoceie as matérias na Região antes de acertar com Lisboa.

Em comunicado o Sindicato dos Professores da Madeira (SPM) faz saber que quer ter conhecimento das negociações que a secretaria regional da Educação e Recursos Humanos efetuou com o Ministério da Educação.

Na sequência da reunião do secretário regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, em Lisboa, com o secretário de Estado da Educação e Administração Escolar, a imprensa noticiou que “ficou acertado” a Região Autónoma seguir as mudanças curriculares avançadas no continente. O sindicato alega querer saber o que foi negociado no Ministério da Educação por Jaime Freitas e lamenta que a tutela não tenha, “em primeiro lugar e como a lei exige quando estão em causa certas matérias, negociado com os representantes dos professores da Região sobre o que viria a ser acertado em Lisboa”, refere o comunicado.

O documento refere ainda que “desconhecem-se os compromissos que foram assumidos, na capital, nas costas dos parceiros sociais, dos docentes e da comunidade educativa madeirense, com repercussões na vida das pessoas. O SPM, como parceiro social, exige saber o que foi negociado no Ministério da Educação”.

Jaime Freitas, ao contrário do que acontecia até há pouco tempo, “já assume que vai haver desemprego docente na Madeira e Porto Santo, o que deixa o SPM e os docentes muito preocupados. Embora tenha declarado, segundo a mesma notícia de 23 de Janeiro, que tudo vai ser feito no sentido de minimizar o desemprego entre os professores, isso não descansa os professores e vai merecer firme oposição e intervenção do sindicato. Exigimos ações concretas no sentido que esse emprego seja defendido”, menciona o mesmo comunicado. 

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest