Trupes trabalham no escuro

A falta de informação sobre as verbas que vão receber por parte do GR está a deixar as trupes em “polvorosa”.

As dificuldades económicas e a falta de informação por parte da secretaria do Turismo e Transporte sobre a verba que será atribuída às trupes que vão desfilar no Carnaval de 2012 estão a deixar os grupos participantes em polvorosa.

As trupes estão conscientes que terão uma verba mais reduzida, no entanto, quando faltam menos de três semanas para o Cortejo de Carnaval sair à rua ainda não sabem com o que vão poder contar.

“Estamos a trabalhar no escuro” revelou ao CidadeNet Ferdinanda Sousa, responsável pela Associação Escola de Samba “Caneca Furada”. “Neste momento ainda não sabemos com o que podemos contar. Estamos a trabalhar sem saber qual é a verba que o Governo Regional nos vai ceder e assim é muito complicado porque trabalhamos a medo a ver o que vai acontecer”, declarou.

Ferdinanda Sousa só tem uma certeza a sua trupe vai sair aconteça o que acontecer. “Vamos aguardar porque o Carnaval é um cartaz turístico, a hotelaria já tem reservas e o programa já está feito e o desfile vai sair, agora não sabemos é o valor que vamos receber para ajuda dos fatos e o corte de que vamos ser alvos”, disse.

Paulo Marques, presidente da Associação Amigos da Geringonça, também está preocupado com a situação, contudo, já arranjou uma solução para fazer face aos custos. Os sócios e os elementos da trupe que vão participar no cortejo estão a confecionar os seus adereços para reduzir os custos com a mão-de-obra.

“Ainda não sabemos qual será o valor do corte que vamos ter mas já estamos a dar uma margem de 5%, por exemplo se o corte for 20% nós já estamos a trabalhar com uma margem como se fosse 25% e estamos a utilizar materiais mais baratos para depois não haver surpresas”, conta, acrescentando que todos os elementos estão a colaborar na confeção dos fatos e adereços para que os custos sejam mais reduzidos.

O presidente da “Gerigonça” admite que a sua equipa está a trabalhar no escuro, mas está otimista de que tudo vai correr bem e o cortejo vai sair no dia 18 de Fevereiro.“Estamos a trabalhar intensamente e cada um está a arranjar a melhor maneira de gastar o menos dinheiro possível para ver se a verba de inscrição que a secretaria do turismo nos vai dar é suficiente. Estou confiante, apesar de tudo, e tenho a certeza que vamos sair, este ano com a particularidade de termos mais elementos 180”, conclui.

 [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest