UC desenvolve o 1º radiofarmacêutico português

Universidade de Coimbra desenvolve o primeiro medicamento radiofarmacêutico português.

O primeiro medicamento radiofarmacêutico português foi desenvolvido na Universidade de Coimbra, através do seu Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS).

O novo medicamento, FDG•UC (Fluodesoxiglucose[18F] UC), que obteve Autorização de Introdução no Mercado (AIM) pelo INFARMED (Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento), vai ser lançado no mercado na próxima sexta-feira.

A introdução no mercado da FDG•UC – usada no estabelecimento do diagnóstico médico em oncologia – assume importância extrema para Portugal, porque «além de ser o primeiro medicamento desenvolvido numa Universidade Portuguesa, representará ganhos significativos para o Serviço Nacional de Saúde», explica o vice-reitor para a área da investigação da UC e Diretor Técnico do ICNAS Produção, Amílcar Falcão.

Por outro lado, sustenta o também investigador, «o novo medicamento desenvolvido na UC, o primeiro de vários que temos preparados para futura entrada no mercado dos radiofármacos, incorpora resultados da nossa investigação que lhe confere caraterísticas inovadoras, tornando-se por isso muito competitivo no mercado».

Utilizado nos exames PET (Tomografia por Emissão de Positrões) para o estabelecimento do diagnóstico oncologia, a FDG•UC permite perceber, com rigor, a evolução da doença, auxiliando os médicos nas opções terapêuticas, permitindo-lhes assim atuar atempadamente e de forma individualizada para cada doente.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest